terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Dihitt


Amigos do site dihitt

Atualmente aqui no Japão é tempo de uma pequena férias escolares
e meu filhinho trouxe muitas lições para casa. Eu tenho que me esforçar
para incentivá-lo a treinar os kanjis e fazer os exercícios de matemática.
Além das comemorações para a entrada do ano novo que aqui no Japão ao contrário do Natal é muito comemorado.

Logo estarei fazendo mais comentários e visitando mais blogs.
Um abraço.
Rose Nakamura



"...Doze meses dão para
qualquer ser humano se
cansar e entregar os pontos.
Aí, entra o milagre da
renovação e tudo começa
outra vez, com outro número
e outra vontade de acreditar
que, daqui para diante, vai
ser diferente."

Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Desejo um feliz Ano Novo para todos


Foto- Rose Nakamura

Desejo um Ano Novo maravilhoso para todos os meus amigos.
Cheinho de saúde, paz e muitas realizações.




Espalharei em meu peito sementes de girassol
e cobrirei a cabeça com ervas aromáticas,
para que a minha pele transpire luz
e a minha boca profira perfumes.
Não me privarei de suculentas alegrias
e só darei a meu corpo o que empanturra o espírito. "

Frei Betto

domingo, 27 de dezembro de 2009

Saber Viver


Saber Viver

Não sei... Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura... Enquanto durar

Cora Coralina
Foto- Rose Nakamura

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Reinauguração



Reinauguração

Entre o gasto dezembro e o florido janeiro,
Entre a desmistificação e a expectativa,
Tornamos a acreditar, a ser bons meninos,
E como bons meninos reclamamos
A graça dos presentes coloridos.
Nossa idade – velho ou moço – pouco importa.
Importa é nos sentirmos vivos
E alvoroçados mais uma vez, e revestidos de beleza,
A exata beleza que vem dos gestos espontâneos
E do profundo instinto de subsistir
Enquanto as coisas em redor se derretem e somem
Como nuvens errantes no universo estável.
Prosseguimos. Reinauguramos. Abrimos os olhos gulosos
A um sol diferente que nos acorda para os
Descobrimentos.
Esta é a magia do tempo.
Esta é a colheita particular
Que se exprime no cálido abraço e no beijo comungante,
No acreditar da vida e na doação de vivê-la
Em perpétua procura e perpétua criação.
E já não somos apenas finitos e sós.
Somos uma fraternidade, um território, um país
Que começa outra vez no canto do galo de 1º de janeiro

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Selinhos dos meus blogs de presente de natal

Queridos amigos

Eu ainda não sei fazer selinhos, mas deixei essas lembranças para todos que passarem pelo meu blog.
Muito obrigada pelo carinho de todos

Rose Nakamura



http://akabori.blogspot.com/





http://orientalfotosflores.blogspot.com/

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Para nadar


Não há quem não feche os olhos ao cantar a música favorita
Não há quem não feche os olhos ao beijar, não há quem não feche os olhos ao abraçar
Fechamos os olhos para garantir a memória da memória
É ali que a vida entra e perdura, naquela escuridão mínima, no avesso das pálpebras
Concentramo-nos para segurar a dispersão, para segurar a barca ao calor do remo
O rosto é uma estrutura perfeita do silêncio. Os cílios se mexem como pedais da memória
Experimenta-se uma vez mais aquilo que não era possível
Viver é boiar, recordar é nadar .

Fabrício Carpinejar..

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Minha árvore de Natal


Foto- Rose Nakamura
Para ilustrar a poesia escolhi
a beleza do nascer do Sol.

Minha árvore de Natal

Minha árvore de Natal
Não tem bolas coloridas
Com o brilhante do metal
Nem lacinhos de fitas

Não tem lâmpadas piscantes
Flocos de neve como pingentes
Pacotinhos de presentes
Penduricalhos como enfeites

Minha árvore de Natal
Ninguém pode ver
É a árvore que construí
E só eu posso sentir

Minha árvore de Natal
Está plantada no meu coração
Toda enfeitada pela magia
Da família, de um grande amor
E dos amigos da poesia

São amigos que conquistei
E fiz pelo caminho
Com a poesia que troquei
E os carinhos que ganhei

São enfeites que guardei
E minha árvore decorei
São amigos e poetas
Que pela vida encontrei

Minha árvore de Natal
Não tem dia para armar
Ela vive sempre brilhante
No coração desse poeta
Enfeitado pelas lembranças
Que revivo a todo instante

Feliz Natal aos enfeites de minha árvore!

Jorge Luiz Vargas
Brasília – DF

Sonhos


Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto
não tem muita importância. O que interessa mesmo não é a noite em si,
são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em
todas as épocas do ano, dormindo ou acordado.

William Shakespeare

domingo, 20 de dezembro de 2009

Homenagem no Meu Jardim - Meu filhinho conquistou mais uma vitória

Trocando de faixa na modalidade karatê no Japão.

Eu vi o Brasil representado aqui no Japão todas as vezes que o Shinji era chamado para demonstrar seus conhecimentos

Ontem dia 21 de dezembro de 2009 aqui no Japão
Meu filho acordou as seis horas da manhã e viajou
para uma outra cidade. Era um dia especial para todos nós,
principalmente para ele que teria que passar por vários testes
para conseguir trocar de faixa no seu esporte favorito o Karatê.
Kauê Shinji pratica esse esporte desde dos 5 aninhos de idade, atualmente tem sete anos. Sempre tentando assimilar tudo o que seus mestres japoneses ensinam. Primeiro foi faixa branca. Eu decide que ele deveria ficar mais de 1 ano na primeira faixa para depois ir fazer o teste e conseguir a segunda que é a faixa laranja. Nesse período o desempenho foi grande e agora neste natal eu ofereci como presente para ele encaminhá-lo para fazer o teste e conseguir a faixa azul, mais um grau no esporte que tanto gosta e com muito orgulho e encorajamento dos seus treinadores japoneses que reconhecem que nosso brasileirinho é um dos destaques da equipe resolvi encaminhar para o teste da terceira a faixa azul.
Shinji encarou a prova com disciplina e coragem,. Foram 4 horas de teste e tendo que ficar concentrado com disciplina observando todos os participantes lutarem. Quando meu pequeno lutador era chamado ele ia com muita disposição e coragem e participava com muita vontade de mostrar tudo o que tinha aprendido. Eu vi o Brasil representado todas as vezes que Shinji era chamado para demonstrar seus conhecimentos

Parabéns meu filho!!!


.
Recebendo os parabéns do Diretor e da banca examinadora.

momentos felizes depois da apresentação com seu professor


demonstrações



Parabéns meu filho.
Nós comemorando na saída do ginásio de esporte.
Rose e kauê Shinji Nakamura

Não tenhas medo


Não tenha medo da vida, tenha medo de não vivê-la.
Não há céu sem tempestades, nem caminhos sem acidentes.
Só é digno do pódio quem usa as derrotas para alcançá-lo.
Só é digno da sabedoria quem usa as lágrimas para irrigá-la.
Os frágeis usam a força; os fortes, a inteligência.
Seja um sonhador, mas una seus sonhos com disciplina,
Pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas.
Seja um debatedor de idéias. Lute pelo que você ama.

Augusto Cury

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Pedidos de Natal


Poesia- Betânia Uchôa
Foto- Rose Nakamura

Pedidos de Natal

Para aqueles que sonham, peço desejos
Desejos pequenos e grandes também
Para aqueles que necessitam, peço o que vejo
Vejo suas necessidades, peço para aqueles que têm.

Para aqueles que brincam, peço companheiros
Para com suas brincadeiras alegrar outros
Neste natal, será algo diferente
Muitos pensando em nossos semelhantes.

E para eles que precisam, vai nosso pedido de amor
Para aqueles solitários, peço boa companhia
E até algum presente, que lhe traga alegria
Para aquele sofredor, peço alento para sua dor.

Ainda que a vida seja triste, peço otimismo e louvor
Esse natal peço algo não visto
Muita paz, amor e harmonia entre amigos
Uma vida feito um canteiro de flor.

Não somos fortes e poderosas todos os dias...

Não somos fortes e poderosas todos os dias...
Que choremos se preciso for,
que sintamos o amor e o desabrochar
de uma flor que um dia foi semente...
E que renasçamos sim...
Se preciso for...
Diariamente".


(Carolina Salcides)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Um pequeno príncipe espera a fada Sissym em nosso jardim



Sissym
Meu filhinho as vezes senta enfrente ao pc e fica querendo conhecer os participantes do site. Ficou encantado em saber da fada Sissym e pediu para mim convidá-la
para conhecer nosso jardim. Imaginou que a fadinha irá gostar da cachoeira, das flores,do caminho azul. Foi uns momentos maravilhosos escolhendo as fotos para recepcionar a nossa querida fadinha.
beijos encantados.
Rose e Kauê




Segue



Foto- Rose Nakamura

"Segue o teu destino...
Rega as tuas plantas;
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
de árvores alheias"

Fernando Pessoa

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Procurando estrelas


Procurando estrelas


Faz frio! vou em busca de agasalho,
oh! lágrimas... (e luto por contê-las!)
olhos abertos, procurando estrelas,
sigo, e na estrada, minha mágoa espalho.

As flores choram lágrimas de orvalho,
lágrimas vivas, trêmulas e, ao vê-las,
vejo toda a criação chorando pelas
folhas a balançar em cada galho.

Sigo tristonho... Baila pelo espaço
o lamento das cousas que ficaram
sem um amor, sequer, para entendê-las.

Deixo um pouco de dor por onde passo...
Paro. Olho o céu. As mágoas debandaram
ante o esplendor do riso das estrelas!


Lago Burnett

sábado, 12 de dezembro de 2009

Sonha



Sonha

Inventa um alfabeto
De ilusões...
Um a-bê-cê secreto
Que soletres à margem das lições...
Voa pela janela
De encontro a qualquer sol
que te sorri!


Asas? Não são precisas:
Vais ao colo das brisas,
Asas da fantasia...

Miguel Torga

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

A Procura


A Procura

Andei pelos caminhos da Vida,
Caminhei pelas ruas do Destino -
procurando meu signo.
Bati na porta da Fortuna,
mandou dizer que não estava.
Bati na porta da Fama,
falou que não podia atender.
Procurei a casa da Felicidade,
a vizinha da frente me informou
que ela tinha se mudado
sem deixar novo endereço.
Procurei a morada da Fortaleza.
Ela me fez entrar: deu-me veste nova,
fez-me beber de seu vinho.
Acertei o meu caminho.

(Cora Coralina)

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Porquês


Foto- Rose Nakamura

PORQUÊS

(Victoria Rossini)

Proteja-se!
Se não quiser se sujeitar
Aos temporais que poderão cair sobre você
...Porque quem ta na chuva
Pode se molhar...

Esconda-se!
Se não quiser que vejam
Você errar
...Porque errar é humano...

Transforme-se!
Se não quiser uma vida sempre igual
...Porque você é o senhor das mudanças
E enquanto VOCÊ não mudar
Nada mudará na sua vida....

Sorria!
Se não quiser que a tristeza
Te siga onde você for
...Porque os iguais sempre se atraem...

Ouse!
Se não quiser viver na mesmice
De uma vida pacata
...Porque viver dentro de limites
É ser limitado...

Instrua-se!
Se não quiser que a ignorância te sufoque
...Porque a ignorância
É a mãe de todos os sofrimentos...

Viva intensamente!
Se não quiser a vida
De um morto-vivo
...Porque viver pela metade
É não viver de jeito nenhum...

Ame loucamente!
Se não quiser morrer
Sem saber o que é viver
...Porque quem nunca amou
Nunca viveu...

Morra!
Se não quiser se expor
As incertezas que a vida traz

...Porque NESTE mundo
Só os mortos:
Não erram
Não se expõe ao ridículo
Não sofrem
Não aprendem
Não se superam
Não choram
Não vivem
Não amam


Para conhecer mais textos da autora

visite
Victtoria Rossini

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Poema do menino Jesus



Poema Do Menino Jesus
Maria Bethânia
Composição: Fernando Pessoa

Num meio-dia de fim de primavera eu tive um sonho como
uma fotografia: eu vi Jesus Cristo descer à Terra.
Ele veio pela encosta de um monte, mas era outra vez
menino, a correr e a rolar-se pela erva
A arrancar flores para deitar fora, e a rir de modo a
ouvir-se de longe.
Ele tinha fugido do céu. Era nosso demais pra
fingir-se de Segunda pessoa da Trindade.
Um dia que DEUS estava dormindo e o Espírito Santo
andava a voar, Ele foi até a caixa dos milagres e
roubou três.
Com o primeiro Ele fez com que ninguém soubesse que
Ele tinha fugido; com o segundo Ele se criou
eternamente humano e menino; e com o terceiro Ele
criou um Cristo eternamente na cruz e deixou-o pregado
na cruz que há no céu e serve de modelo às outras.
Depois Ele fugiu para o Sol e desceu pelo primeiro
raio que apanhou.
Hoje Ele vive na minha aldeia, comigo. É uma criança
bonita, de riso natural.
Limpa o nariz com o braço direito, chapinha nas poças
d'água, colhe as flores, gosta delas, esquece.
Atira pedras aos burros, colhe as frutas nos pomares,
e foge a chorar e a gritar dos cães.
Só porque sabe que elas não gostam, e toda gente acha
graça, Ele corre atrás das raparigas que levam as
bilhas na cabeça e levanta-lhes a saia.
A mim, Ele me ensinou tudo. Ele me ensinou a olhar
para as coisas. Ele me aponta todas as cores que há
nas flores e me mostra como as pedras são engraçadas
quando a gente as tem na mão e olha devagar para
elas.
Damo-nos tão bem um com o outro na companhia de tudo
que nunca pensamos um no outro. Vivemos juntos os dois
com um acordo íntimo, como a mão direita e a esquerda.
Ao anoitecer nós brincamos as cinco pedrinhas no
degrau da porta de casa. Graves, como convém a um DEUS
e a um poeta. Como se cada pedra fosse todo o Universo
e fosse por isso um perigo muito grande deixá-la cair
no chão.
Depois eu lhe conto histórias das coisas só dos
homens. E Ele sorri, porque tudo é incrível. Ele ri
dos reis e dos que não são reis. E tem pena de ouvir
falar das guerras e dos comércios.
Depois Ele adormece e eu o levo no colo para dentro da
minha casa, deito-o na minha cama, despindo-o
lentamente, como seguindo um ritual todo humano e todo
materno até Ele estar nu.
Ele dorme dentro da minha alma. Às vezes Ele acorda de
noite, brinca com meus sonhos. Vira uns de pena pro ar,
põe uns por cima dos outros, e bate palmas, sozinho,
sorrindo para os meus sonhos.
Quando eu morrer, Filhinho, seja eu a criança, o mais
pequeno, pega-me Tu ao colo, leva-me para dentro a Tua
casa. Deita-me na tua cama. Despe o meu ser, cansado e
humano. Conta-me histórias caso eu acorde para eu
tornar a adormecer, e dá-me sonhos Teus para eu
brincar.

Amigos são pérolas


Foto- Rose Nakamura

Amigos são pérolas

Amigos são pérolas
Que ao caminhar
Na estrada da existência
Vamos encontrando
E que aos poucos
Sem que percebamos
Nos faz brilhar
Irradiando alegria e vida.

Amigos são estrelas
Que surgem no momento
Em que a noite está tenebrosa
Desfazendo a solidão
E do medo da escuridão.

Amigos são oásis
Que após deserto estafante,
Surge no oportuno instante
Para recarregar as forças
Que parecem nos deixar.

Amigos são presentes
Que dia a dia recebemos
E neles nos envolvemos
Para não sentirmos sós.

Ataíde Lemos

Para conhecer mais os poemas do autor
visite
blog do Poeta Ataíde Lemos

domingo, 6 de dezembro de 2009

Como será o seu natal?

Conte para nós
Como irá comemorar o natal.

Foto -Rose Nakamura



Emergência


Foto- Rose Nakamura

EMERGÊNCIA
 
Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
- para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.
 
Mario Quintana


sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Parceria

Foto- Rose Nakamura


Ficamos assim:
você joga as queixas no telhado,
eu ponho as manias de lado,
você lava a escadaria, eu rego o jardim.
Podemos varrer juntos as nódoas
secas aderentes ao passado.
Se você se habilita, eu me disponho
num desafio à desdita. Você acende a luz,
eu desempeno o sonho,
enquanto você ensaia o passo,
eu troco a fita. Na mesa torta,
a toalha colorida.
O resto é fácil:
basta mandar flores ao futuro,
derrubar o muro e acreditar na vida.

Flora Figueiredo

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Haicai - Rose



Meu haicai para você:

Folhas de outono no chão
Pétalas de todas as cores
Êxtase e comunhão com Rose

Lilian

Estrada do Sol


Lago de lótus
Foto- Rose Nakamura



Balada da Estrada do Sol
Andre Sardet

Sigo a estrada que me vai levar ao sol
Há sete dias que caminho sem parar
Sou uma criança com licença para sonhar
Leio histórias em sorrisos de embalar
E vou pedir ao deus do sol para me adoptar
Perfilhar-me e nunca mais me abandonar
Afinal o sol também e meu
Quero o raio que só ele me prometeu
Nesta estrada o cansaço não existe
O fim esta longe mas o corpo não desiste
Levo nos braços a guitarra para tocar
Tenho por coro a velha estrela polar
E vou pedir ao deus do sol para me adoptar
Perfilhar-me e nunca mais me abandonar
Afinal o sol também e meu
Quero o raio que só ele me prometeu
E vou pedir ao deus do sol para me adoptar
Perfilhar-me e nunca mais me abandonar
Afinal o sol também e meu
Quero o raio que só ele me prometeu

Pensamento


PENSAMENTO

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas ...
Que já têm a forma do nosso corpo ...
E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos
mesmos lugares ...

É o tempo da travessia ...
E se não ousarmos fazê-la ...
Teremos ficado ... para sempre ...
À margem de nós mesmos...

Fernando Pessoa

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim