sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A vida

Assim eu vejo a vida

A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.

Cora Coralina

Corujas e corujas

Fotos- http://www.vogel.jp




Poeminha Amoroso

Poeminha Amoroso

Este é um poema de amor
tão meigo, tão terno, tão teu...
É uma oferenda aos teus momentos
de luta e de brisa e de céu...
E eu,
quero te servir a poesia
numa concha azul do mar
ou numa cesta de flores do campo.
Talvez tu possas entender o meu amor.
Mas se isso não acontecer,
não importa.
Já está declarado e estampado
nas linhas e entrelinhas
deste pequeno poema,
o verso;
o tão famoso e inesperado verso que
te deixará pasmo, surpreso, perplexo...
eu te amo, perdoa-me, eu te amo...

Cora Coralina

Destino


Se nosso destino se escreve
Nas palmas das nossas mãos
É o seu que encontro
Quando olho pras minhas.
São tantos traços, caminhos
Em todas as direções
E não pode ser coincidência
Os tantos cantos, recantos,
Do meu destino e do seu.
Se sua mão sobre a minha
Aponta a mesma linha,
Somos duas paralelas
De um destino perfeito,
Como uma flor sem defeito,
Que a vida nos reservou.

Letícia Thompson

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Quanta bobagem


Quanta bobagem
Tudo o que se falou
Me olho no espelho
E já nem sei mais quem sou

Quanto talento
Pra discutir em vão
Será tão frágil
Nossa ligação

Não tem que ser assim
Tanto desencontro, mágoa e dor
Pra quê que a gente tem que
Se arriscar

Então volta pra mim
Deixa o tempo curar
Esse estranho jeito de amar

Falsas promessas
Erros tão banais
Mas ninguém cede
E pensa em voltar atrás

Vinicius de Moraes

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim