sexta-feira, 8 de maio de 2009

Para Sempre


Foto- Rose Nakamura
Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade

5 comentários:

  1. Rose,

    Lindo e emocionante poema. A Ilustração é linda! Que flor mais bela pode existir que os nossos filhos?

    Um feliz dia da Mãe para ti querida amiga.

    Grande beijinho

    Luísa

    ResponderExcluir
  2. Com a graça de Deus ainda tenho a minha mãe presente, não saberia viver sem ela.

    ResponderExcluir
  3. Amada Rose o autor por si só já é uma joia rara, parabéns pele escolha do poema.
    A paz

    ResponderExcluir
  4. È uma graça esse poema de Drummond. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Lindíssimo poema do mestre Carlos Drummond de Andrade. Muito bem escolhido. bj

    ResponderExcluir

Não estamos aceitando comentários anônimos

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim