terça-feira, 7 de abril de 2009

Tudo é efêmero


Se pudéssemos ter a consciência do quanto nossa vida é efêmera, talvez a gente pensasse duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes.
Muitas flores são colhidas cedo demais, algumas, mesmo ainda em botão.
Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida inteira até que, pétala por pétala, se entregam ao vento. Mas a gente não sabe adivinhar.
A gente não sabe por quanto tempo estará enfeitando esse Éden e tampouco aquelas flores que foram plantadas ao nosso redor.
E descuidamos.
Cuidamos pouco, de nós, dos outros.
Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos horas preciosos com isso.
Perdemos dias, às vezes anos.
Nos calamos quando deveríamos falar... falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio.
Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque algo em nós impede essa aproximação.
Não damos um beijo carinhoso "porque não estamos acostumados com isso" e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro já sabe o que sentimos.
E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos, fechados em nós.
Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos o suficiente.
Cobramos dos outros, da vida, de nós mesmos, nos consumimos.
Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais...
E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos?
Isso faria uma grande diferença!
e o tempo passa...
Passamos pela vida, não vivemos.
Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.
Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás.
E, então nos perguntamos: "E agora?"
Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa, de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa, de agradecer pelo que temos.
Nunca se é velho demais ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer um gesto carinhoso.
Não olhe para trás.
O que passou, passou. O que perdemos, perdemos.
Olhe para frente! Aprecie as flores que estão inteiras ao nosso redor.
Sempre é tempo de agradecer pela vida que, mesmo efêmera, está aqui bem viva dentro de nós!

Desconheço autoria

3 comentários:

  1. Rose,
    Recebi anteontem o Selo "Olha que blog Maneiro!" e indiquei o seu blog para recebê-lo também. Apesar de ter cumprido as regras que foram prescritas, deixo-o à vontade para fazê-lo como bem desejar. Compreendo que nem todos tem tempo para cumprí-las. Contudo, o selo é seu e minha indicação foi por dois motivos:
    tenho acompanhado o seu trabalho aqui no diHitt e o considero importante e, nos moldes do selo, um blog maneiro.
    O segundo motivo para a escolha foi a transparência usada por você, quando da minha postagem "Como você reage quando seu blog ganha selo? Uns disseram que nunca haviam recebido um selo e outros declararam que não sabiam como fazer para "pegar o selo" recebido. Achei muito legal da sua parte dizer isto, pois passei pelas mesmas dificuldades.
    Este é o link para receber o seu selo:
    http://recebiliegostei.com/2009/04/08/recebimento-de-selo-olha-que-blog-maneiro/
    Um forte abraço. Parabéns pelo seu trabalho!
    Do amigo,
    Regly

    ResponderExcluir
  2. OLHA TEXTO MUITO REFLEXIVO AS VEZES DA UMA TRISTEZA PENSAR QUE TUDO ACABA E UMA DIA NÓS TAMBÉM.

    ResponderExcluir
  3. Rose: Gostei do texto. Por vezes a rotina diária faz-nos esquecer o que realmente importa! Esquecemo-nos de valorizar, olhar, acarinhar as pessoas mais importantes para nós...por vezes só damos conta disso quando estão longe ...ou os perdemos de vez...
    Bjs Susana

    ResponderExcluir

Não estamos aceitando comentários anônimos

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim