quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Se eu encontrasse a pequena Rose

Se eu encontrasse a pequena Rose


Está aproximando o dia das crianças e hoje eu estava sonhando acordada e imaginando como seria  um encontro comigo mesma. Assim com a vivência  de uma mulher com mais de quarenta anos e a pequena Rose com a idade aproximada  do meu filho 8 anos .
Convidaria para dar um passeio, tomar sorvetes, mostraria coisas que nunca soube  que existiam devido a sua infância humilde. Compraria algumas coisas principalmente aquela boneca que sempre sonhou e nunca conseguiu.
Contaria que a Rose conquistou muitos sonhos da infância, principalmente de ser jornalista, um sonho que parecia tão distante para quem tinha os pais analfabetos e que não podia acompanhá-la nos estudos. O que causou tantos choros, pois era uma menina estudiosa.
Mostraria a foto do meu filho um lindo garoto cheio de sonhos e sempre pronto para enfrentar a vida, o sorriso do Kauê  falaria que herdou da mãe, os olhos puxados de alguém que amamos  e vive ao nosso lado, contaria que eu encontrei o amor numa pessoa muito sensível e honesta.


Sei que com oito anos você não tinha amigos, te abraçaria e faria um desabafo continuamos assim. Aqui aonde moro tenho poucos e agora quase nem entendo o que falam, com certeza íamos  rir muito, e você falaria para mim que bom que você aprendeu a se comunicar com mímicas. Contaria que converso diariamente com muitos amigos através da internet e posso compartilhar emoções, você iria  ficar muito curiosa. Falaria que não tenho mais espaços para plantar margaridas, aquelas que sempre levava para as professoras e amiguinhos quando faziam aniversário, mas que  fiz um blog e continuo oferecendo flores para os amigos e prestando homenagens quando meu coração pede. Outra vez você não iria entender. Não faz mal apenas falaria que arrumei um jeito de continuar tendo amigos  e você dessa vez  iria entender .

Confessaria que  sinto saudades da mamãe e principalmente do papai que me mostrou a vida e me ensinou a agradecer tudo, o dia, a chuva, as flores e a amizade. Não falaria das coisas ruins, preconceitos, crise financeiras.
Você não iria entender. Na hora da despedida prometo não iria chorar apenas agradeceria a criança maravilhosa e que jamais esqueci o brilho do seu olhar e a esperança que sempre invadia seu coração para enfrentar a vida.
Obrigada!

Rose Nakamura
esperança
em cada amanhecer 

0 comentários:

Postar um comentário

Não estamos aceitando comentários anônimos

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim