terça-feira, 30 de março de 2010

Prazo de vida


No meio do mundo faz frio,

faz frio no meio do mundo,

muito frio.


Mandei armar o meu navio.

Volveremos ao mar profundo,

meu navio!


No meio das águas faz frio.

Faz frio no meio das águas,

muito frio.


Marinheiro serei sombrio,

por minha provisão de mágoas.

Tão sombrio!


No meio da vida faz frio,

faz frio no meio da vida.

Muito frio.


O universo ficou vazio

porque a mão do amor foi partida

no vazio.




Cecília Meireles

8 comentários:

  1. Amiga adorei este poema, grande escolha a sua.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  2. Linda poesia,porém triste...
    E a foto que tirou é linda!è a sua casa?

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Rose, eu não conhecia este poema. E sou fã da C.Meireles. A foto é de sua casa?! A casa do meu tio, na Alemanha fica assim ou até mais escondida pela neve. É lindo... mas é frio!

    ResponderExcluir
  4. Rose, que lindo poema e imagem! :)
    Parabéns, amiga.

    Beijos
    Luísa

    ResponderExcluir
  5. Olá Rose querida!
    Adorei a linda foto. Ficou muito bonita.
    E o texto da Cecília Meireles é fantástico. Parabéns pela bela escolha!
    Beijos, Fernandez.

    ResponderExcluir
  6. QUE BOM PODER CHEGAR EM CASA AGORA, E MERGULHAR NAS LINDAS PALAVRAS DESTA TÃO MARAVILHOSA ARTISTA, QUE FOI CECÍLIA.
    OBRIGADO POR NOS PRESENTEAR ,COM ESTA LINDAS PALVRAS.
    FELICIDADES,PAZ E SUCESSO!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Rose,

    Lindíssimo poema de Cecília Meireles.

    E esta casa coberta de neve é o máximo. Linda mesmo.

    Adorei!

    Bjs.

    Ro.

    ResponderExcluir
  8. Lindo poema! Seu blog está lindo. Bjs!

    ResponderExcluir

Não estamos aceitando comentários anônimos

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim