sábado, 20 de fevereiro de 2010

Namorar é verbo


Namorar é verbo



Namorar é:
Nem sempre perdoar, mas querer e demonstrar, disfarço - disfarçando.
Encontrar-se em cada conciliação sabendo renascer e reviver dentro da mesma relação.
Compreender-se porque se esta junto, mesmo que pese e doa.
Mesmo que venha sendo ou tenha sido difícil.
Redescobrir as mesmas emoções iniciais e as traduzir num olhar diferente ou em uma emoção que já não da para contar.
Provocar sem maldades a outra parte como forma de dela se aproximar. Suspirar.
Sentir inexplicável falta da presença quando ausente, mesmo se incômoda quando presente.
Fazer da impossibilidade o alimento para mais amor guardado; e do amor guardado o abastecimento para o amor exercido.
Reclamar mesmo injustamente, mas para poder ser a sua maneira.
Levar um pedaço de vida que permaneceu durando mesmo quando a relação acabou.
Imaginar o que seria se tivesse sido, mas durou, ainda que por instantes, na fantasia.
Comemorar cada vitória sobre o tédio possível em relações de muitos anos.
Observe atentamente a construção das frases e perceberá que namorar é verbo: poder, querer, demonstrar, encontrar, reviver, compreender, traduzir, provocar, suspirar, fazer, reclamar, levar, imaginar, comemorar.
E verbo é ação...



(Arthur Távola)

8 comentários:

  1. Ah Rose, já namorei muito, mas agora chega...kkkk

    ResponderExcluir
  2. Olá Rose,

    A fase do namoro é tão mágica e cheia de encantamentos.. Foi uma época feliz..

    Adorei..

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Há algum tempo atrás o namoro era algo sério, a liberdade do casal era pouca; baseava-se apenas em segurar as mãos, às vezes o rapaz conseguia roubar um beijo escondido dos pais da donzela.
    Já hoje o namoro é algo que se leva na brincadeira, juntamente com o tal de “ficar” (você dá uns beijos ou até mesmo tem relações, só que você nunca mais vê o parceiro).

    O namoro está bem libertino, já envolve caricias mais intimas incluindo sexo. Porém a religião está fazendo com que volte o respeito que havia no namoro.
    Dentro da visão da religião o namoro é um período de conhecimento mútuo, conhecimento da alma, do coração, nunca do físico um do outro.

    A parte física fica reservada para após o casamento, para isso os religiosos fazem a comprovação através da bíblia (hebreus 13,4; Gêneses 2,24...). Mas devemos lembrar que a religião não nos impõe isso, apenas nos dá à opção de praticar a “visão de Deus” ou a “visão mundana”. Cabe a nós essa decisão.

    ResponderExcluir
  4. Como é verdadeiro isto. Namorar é isto tudo e eu vejo que fui feliz, como sempre pensei que tinha sido! porque sempre acreditei que o melhor era namorar... e eu assim vivi, meu relacionamento, acreditando nele e concordo, namorar é atitude, é verbo. Não se pode fazer de conta que nada acontece... namorar é crer na ação!
    Muito bonito, Rose!
    Bj. Vera.

    ResponderExcluir
  5. Olá querida amiga Rose,

    Parabéns pelo post.
    A crônica sobre o namoro é magnáifica.
    Pena que já não se namora mais, como se fazia antigamente.
    Hoje em dia, o "gostinho e a emoção" do namoro está totalmente disfarçado pelo modernismo de "ficar" e perdeu o romantismo que tinha.

    Achei ótimo o texto.
    Carinhoso e fraterno abraço,
    Lilian

    ResponderExcluir
  6. Namorar é tudo isso e um pouco mais...
    Namorar é usar o que Deus nos deu de mais sagrado para vivermos felizes e fazermos felizes.
    Amar é sofrer. Sofrimento que rói a alma e que só Deus pode curar a ferida. Nem o tempo apaga a dor de um o namoro frustrado, um namoro traído...

    ResponderExcluir
  7. Belíssimo texto de Arthur da Távola. Seus blogs são lindos Rose. Bjos

    ResponderExcluir

Não estamos aceitando comentários anônimos

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim