quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Coração De Poeta


Coração De Poeta

Sangra coração de poeta,
recrudescido de dor,
entorpecido de amor,
empobrecido de razão,
enobrecido de emoção...
Esvaia-te até a última gota,
frágil e ébrio de paixão.

Como podes ser assim,
tão tolo, tão imbecil...?
O que pensas coração infantil?
Não consegues ir mais além?
Irás para sempre amargar
o saborear dessa traição?

Amadureça coração,
abstenha-te desse amor;
ele não fez por te merecer.
Aliás, isto nem foi amor,
pois só ti foi quem amou
e agora também é só tu,
quem vai padecer?

Atenção, coração:
Intimo-te a esquecer.
Amadureça-te, infante
e nunca mais ouse de novo
nessa loucura me envolver
ou então pare logo de pulsar
e me impute o falecer!

Antônio Poeta

Foto- Rose Nakamura

11 comentários:

  1. OI Rose!!

    São sempre assim os corações de Poetas: Pedem pra morrer, mas de olho na porta, pra ver se alguém entra com a bolsa a tira-colo!! Daí então ele adia o suicídio...afff...é sempre assim, se não é com os amores antigos, é com o próximo, que ainda está na imaginação!! kkkkk

    Bjs minha linda!

    ResponderExcluir
  2. Ebrael
    Meu amigo
    Que maravilhoso ver você aqui
    beijos

    ResponderExcluir
  3. "Amadureça coração,
    abstenha-te desse amor;
    ele não fez por te merecer.
    Aliás, isto nem foi amor,
    pois só ti foi quem amou
    e agora também é só tu,
    quem vai padecer?"
    Muito lina em especial estap arte.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  4. Príncipe
    Meu amigo
    sempre presente
    adorei seu comentário
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Um poema iluminado. Parabéns!
    Abçs, Fernandez.

    ResponderExcluir
  6. Saudações!
    Que Post Fantástico!
    Amiga ROSE, um poema belíssimo, cheio de inspiração!
    Parabéns pela escolha!
    Ótimo Post!
    Abraços,
    LISON.

    ResponderExcluir
  7. Lison
    Obrigada pela presença
    e pelo seu lindo comentário
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Rose,

    Os corações dos poetas são sempre assim: instáveis na ânsia de alcançar o ideal. Ora querem morrer, ora querem viver.

    Beijocas
    Luísa

    ResponderExcluir
  9. Rose... que belíssima poesia.... típico sofrer de poeta!
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  10. Olá Rose,

    Quando o poeta rasga o peito e tira dele os versos ele os faz com mãos de artista, malabarista de palavras e emoções..

    Abraço

    ResponderExcluir

Não estamos aceitando comentários anônimos

Visite- Mira Fotos

Seguidores

Faça parte deste jardim